Estudo mostra que a cannabis proporciona alívio para 9 entre 10 pacientes com enxaqueca

Estudo mostra que a cannabis proporciona alívio para 9 entre 10 pacientes com enxaqueca

De acordo com um estudo recente, o tratamento com cannabis pode ser promissor para quem sofre de enxaqueca

Um estudo de pesquisadores da Universidade do Novo México descobriu que mais de nove entre 10 pacientes com enxaqueca relataram que a maconha inalada proporcionou alívio para seus sintomas. Um relatório (https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S2095496420300741#!) sobre a pesquisa, intitulado “Efeitos aliviadores da flor de cannabis na enxaqueca e dor de cabeça”, foi publicado no Journal of Integrative Medicine. Link de acesso acima.

Para conduzir o estudo, os pesquisadores acompanharam os efeitos da cannabis herbácea inalada sobre os sintomas experimentados por 699 pessoas que sofrem de enxaqueca durante um período de 32 meses. Os participantes autoadministraram cannabis enquanto estavam em casa e relataram seu uso e seus efeitos sobre os sintomas por meio do aplicativo Releaf para smartphone. A intensidade da dor relacionada à enxaqueca ou dor de cabeça foi medida em uma escala de zero a dez antes e imediatamente após o consumo de cannabis.

“De acordo com os resultados atuais, a flor de cannabis parece ser eficaz na redução da intensidade da dor relacionada à dor de cabeça e à enxaqueca para a maioria das pessoas que optam por usá-la”, escreveram os autores do estudo.

“Parece possível que o uso da flor de cannabis , combinado com outras modificações comportamentais, pode oferecer a alguns pacientes um regime de tratamento natural, mais seguro e eficaz, em comparação com o uso de alguns medicamentos convencionais”, acrescentaram.

O estudo descobriu que 94% dos participantes relataram alívio dos sintomas dentro de duas horas após a inalação de cannabis. Em média, os participantes do estudo experimentaram uma redução de 3,3 pontos na escala de dez pontos. Variedades de cannabis com um teor de THC de 10% ou mais mostraram-se mais eficazes no alívio dos sintomas da enxaqueca. Os homens tendem a obter maior alívio do que as mulheres, e os participantes mais jovens relatam maior benefício do que os pacientes mais velhos.

“Esses resultados sugerem que a flor de Cannabis inteira seca pode ser um medicamento eficaz para o tratamento da enxaqueca e dor de cabeça, mas a eficácia difere de acordo com as características da planta de Cannabis, os métodos de combustão e a idade e sexo do paciente”, concluíram os pesquisadores.

Pesquisa revela mais evidências do efeito Entourage

O pesquisador Jegason Diviant, que trabalhou no estudo da enxaqueca, bem como em outro que usou o aplicativo Releaf para rastrear o efeito da cannabis na depressão, relatou que muitos pacientes estão experimentando resultados melhores com a flor de cannabis inteira do que aqueles relatados com formulações de canabinoides refinadas. As descobertas dão mais crédito ao efeito de entourage amplamente associado ao uso de cannabis.

“Estamos vendo evidências muito encorajadoras de que a cannabis pode ser segura e eficaz para tratar a depressão e a dor crônica”, disse Diviant. “Isolados de fitocanabinoides, como THC ou CBD, são opções de tratamento menos eficazes do que produtos de cannabis de espectro completo. No entanto, não é suficiente simplesmente educar o público que a cannabis de todo o espectro é superior aos isolados derivados da cannabis. Existem milhares de cepas de cannabis, também conhecidas como quimiotipos ou quimovares, e todas elas têm um único perfil de fitocanabinoide e terpeno”.

O pesquisador observou a ampla gama de efeitos que diferentes variedades de cannabis podem proporcionar e pediu uma mudança na política federal de cannabis para estimular mais estudos.

“Prevejo que identificaremos quimiotipos específicos que são ideais para o tratamento de vários distúrbios de saúde mental e física, bem como quimiotipos que podem ser contra-indicados para esses distúrbios”, acrescentou Diviant. “Esta pesquisa é crítica e essencial para a saúde pública, e para que possamos conduzir adequadamente essa pesquisa vital, a classificação do Anexo I deve ser suspensa.”

Fonte: High Times Magazine