Brittney Griner volta a jogar após meses longe das quadras

A atleta foi presa na Rússia após ser flagrada com óleo de Cannabis na bagagem, o que é proibido pelas leis russas

Por Rede Abracom

Em meio a comemorações de todo o time, ovacionada pela torcida e festejada inclusive pela vice-presidente americana, a jogadora de basquete Brittney Griner voltou a jogar após dois anos sem entrar em quadra. A pivô esteve presa na Rússia após ser flagrada com óleo de Cannabis para fins medicinais.

O óleo usado por ela é direcionado ao tratamento de dores crônicas com as quais a atleta sofre. O tratamento medicinal feito por Griner não é permitido pela legislação russa e a punição atribuída conforme a lei do país pode chegar a uma pena entre cinco e dez anos de prisão.

O Governo dos Estados Unidos fez uma troca para que a jogadora fosse libertada. Griner acabou sendo solta como parte de um acordo de troca pelo notório traficante de armas russo, Viktor Bout, conhecido como o “mercador da morte”.

Ela ficou presa por dez meses por porte de drogas. A atleta se declarou culpada das acusações, mas afirmou que não pretendia infringir a lei ou usar a substância proibida na Rússia.

Brittney Griner terminou o jogo com 18 pontos e seis rebotes e o seu time, o Phoenix Mercury, perdeu de 94 a 71 para o Los Angeles Sparks. Mas o resultado foi o assunto menos comentado naquele dia nas entrevistas.

A vice-presidente Kamala Harris estava presente e fez um discurso no vestiário. “Obrigado por tudo que vocês fizeram para apoiar Brittney, porque eu sei que foi difícil. Isso foi tão difícil para vocês porque um time é um time. Isso é uma família”, disse.

A técnica do Phoenix, Vanessa Nygaard, se mostrou entusiasmada no vestiário. “Estou tão feliz que ela está em casa. É um milagre que ela esteja aqui e todos que vão ver este jogo hoje vão testemunhar um milagre que ela voltou de uma prisão russa e está jogando basquete na WNBA novamente”, declarou.

O jogo aconteceu no último fim de semana e foi válido pela abertura da temporada da WNBA, a liga profissional feminina do basquete norte-americano.

SAC