Criança é cerceada do direito à saúde com apreensão de plantas de Cannabis

O menino viu seu pai ser preso e foi levado para o Conselho Tutelar

Por Rede Abracom

O direito ao tratamento de uma criança de sete anos de idade, surdo mudo, epilético esquizofrênico, autista severo, que não come e nem bebe sozinho foi cerceado nesta sexta-feira, 29. O menino tem o direito de plantar e produzir o óleo dentro de casa garantido por Habeas Corpus (HC), mas a polícia civil apreendeu as plantas e prendeu seu pai por tráfico.

Cleuza Ladario, a mãe da criança, emocionada, contou que está sofrendo com a perseguição da PC. Ela explicou que mesmo apresentando o HC não foi possível fazer os policiais entenderem que se tratava de um tratamento médico.

“Chegou um delegado que achou um absurdo ter um cultivo legalizado no meu quintal e ele disse para mim que seria uma questão de honra fechar. Eles sondaram minha estufa até a colheita, ele pediu uma busca e apreensão e entrou em casa. Ele queria me levar, como eu não estava levaram todas as flores”, falou.

O pai da criança foi preso acusado de tráfico de drogas. A Polícia pesou as plantas com galhos e flores e disse que é 54 quilos de droga, mas depois de limpa não chega a 20 quilos de Cannabis para uso medicinal.

A criança foi levada para o conselho tutelar e agora está sob os cuidados do primo. Cleuza disse que o menino não fica à vontade e entra em crise quando está longe dos pais, como está acontecendo no momento.

O direito à saúde é protegido pela Constituição Federal. A Lei antidrogas também garante o acesso a qualquer tipo de droga desde que para uso medicinal, como é o caso. A isso se acrescenta que a Justiça garantiu, através de HC, o direito desta criança.

A Associação Brasileira de Apoio Cannabis Esperança (Abrace) se solidariza a estes pais nesta luta pela saúde e qualidade de vida de uma criança indefesa.

SAC