Escolha da Cannabis para efeitos da menopausa está crescendo

Uma pesquisa realizada no Canadá mostrou que o número de mulheres que usam a Cannabis está cada dia maior

Por Rede Abracom

O número de mulheres em uso da Cannabis para tratamento dos efeitos da menopausa está crescendo no Canadá, segundo mostrou um estudo realizado pela Universidade de Alberta e publicado pela revista High Times. O país legalizou o uso medicinal em 2001 e o recreativo no ano de 2018.

De acordo com a pesquisa, 499 mulheres (34%) usam Cannabis atualmente e 978 (66%) indicaram já ter usado. Destas 499 usuárias, mais de 75% usavam Cannabis para fins médicos. Foram ouvidas 1.485 respostas de mulheres a partir de 35 anos de idade que foram recrutadas pelas mídias sociais.

As pacientes disseram que fazem uso para melhorar o sono (65%), ansiedade (45%) e dores musculares/articulares (33%). Os pesquisadores concluíram que é preciso ter estudos adicionais para avaliar a segurança e a eficácia no controle da menopausa e desenvolver recursos clínicos para mulheres que usam o medicamento.

Estes relatos, no entanto, não são novidades. Em 2020, pesquisadores do San Francisco VA Health Care System descobriram que mais de um quarto das mulheres entrevistadas relataram o uso de Cannabis medicinal para a menopausa. Esse estudo ouviu 232 mulheres no norte da Califórnia.

A menopausa é a última menstruação que inicia o climatério. As mulheres podem apresentar ondas de calor (fogachos), alterações do sono, da libido e do humor, entre outros sintomas provocados pelas variações dos hormônios, o que ocorre entre os 45 e os 55 anos, na maior parte das vezes, mas poder acontecer antes.

SAC