Como o negacionismo atrapalha o tratamento com Cannabis

Médico fala em preconceito ser barreira para que a Cannabis se torne a primeira opção de tratamento

Por Rede Abracom

Um artigo publicado na revista científica Em Pauta trata sobre o preconceito e o negacionismo associado ao tratamento medicinal da Cannabis.

O artigo é assinado pelos pesquisadores da Fiocruz, Paula Maria da Conceição Fabrício e Paulo Amarante. O tema do estudo é “A tragédia do preconceito: o negacionismo e o debate sobre o uso medicinal da maconha”.

Na introdução do texto, os autores falam sobre o espaço que o uso medicinal da maconha vem ganhando no Brasil e no mundo. Eles citam ainda que o histórico de proibição e a classificação da substância como ilícita, além das discussões políticas e ideológicas, prejudicam um olhar mais ampliado sobre o tema, sustentando mitos e preconceitos de parte da população.

Ainda hoje, esse preconceito histórico e o negacionismo impactam na vida do paciente que busca a Cannabis como primeira opção de tratamento.

O médico prescritor, Renan Abdalla, destaca como o preconceito é um obstáculo na busca pelo tratamento com a Cannabis.

“Até mesmo pessoas desacreditadas e sem esperança não buscam a Cannabis por causa do preconceito”.

O médico fala ainda dos fatores que acabam atrapalhando para que a Cannabis seja a primeira opção de tratamento.
“A cannabis ainda é uma última opção na maioria das vezes. Melhorando o debate, o acesso à informação para os profissionais da área da saúde, tendo mais legislação sobre o tema, a gente vai chegar às pessoas que precisam o quanto antes”.

Para o médico, ainda é preciso quebrar barreiras e avançar no debate.

“Quebrando essa barreira do negacionismo, trazendo mais informação, mais produto, mais acesso, mais paciente, a gente vai fazer com que a Cannabis chegue o quanto antes”, concluiu Abdalla.

SAC