Hoje é o Dia Mundial da Esclerose Múltipla

A doença acontece quando o sistema de proteção do organismo ataca o corpo, mas a Cannabis pode ajudar

Por Rede Abracom

Muita dor e falta de mobilidade. Estes sintomas podem ser provocados pela esclerose múltipla, uma doença neurológica autoimune que não tem cura e ainda não é conhecido quais as suas causas, mas o tratamento vem tendo avanços com a ajuda da Cannabis.

Esta terça-feira, 30 de maio, é o Dia Mundial da Esclerose Múltipla. O intuito é esclarecer as dúvidas sobre a doença e fazer com que ela seja reconhecida através dos sintomas desde o início do problema para que a qualidade de vida seja preservada.

A enfermidade se inicia quando o sistema de proteção de corpo começa a produzir inflamações na bainha de mielina. Trata-se de uma capa protetora que reveste os prolongamentos dos neurônios responsáveis por conduzir os impulsos elétricos do sistema nervoso central para o corpo e vice-versa.

Esse curso do organismo fica defeituoso levando à doença, o que pode provocar, além das dores e da falta de mobilidade, alterações na visão, no equilíbrio e na força muscular dos membros. Os surtos podem durar dias.

No tratamento, a Cannabis pode ajudar. O canabidiol é capaz de desacelerar o processo da doença e atuar como anti-inflamatório, fazendo com que os sintomas fiquem mais amenos e, até mesmo, desapareçam.

Foi o que aconteceu com a associada da Associação Brasileira de Apoio Cannabis Esperança (Abrace), Maria Cristina Varize Bertasi. Ela começou o uso do óleo há três anos e não demorou até ter os primeiros progressos.

“Eu tinha muito espasmo na coxa e na panturrilha e tinha dor parecida com câimbra. Após 15 dias que comecei o tratamento, já me senti melhor. Os espasmos acabaram e a dor sumiu. A única coisa que não melhorou foi a marcha, fico em pé mas não consigo caminhar”, contou.

Além disso, os estudos mostram que o CBD pode ajudar na não evolução para uma doença mais grave, estacionando os sintomas. Por isso a necessidade de manutenção contínua do tratamento por um longo período.

Ainda não há cura para a esclerose múltipla, mas é possível controlar os sintomas com o tratamento realizado da forma correta. Além disso, é preciso começar rápido o uso do óleo, mas ter melhores resultados.

SAC