83-3243-1951 contato@abraceesperanca.org.br

Notícias da Abrace

Fique por dentro de nossas novidades!

Abrace adquiriu analisador de canabinoides.

Abrace dá passo a frente e é primeira a ter analisador de canabinoides

Por Wênia Bandeira

Após uma campanha para arrecadar fundos financeiros, a Associação Brasileira de Apoio Cannabis Esperança (Abrace Esperança) se tornou a primeira a possuir uma “cromatografia líquida de alta eficiência (HPLC)”. O equipamento permitirá maior precisão na produção, análises e pesquisas de produtos feitos com THC e CBD.

O HPLC é um analisador de canabinoides e foi vendido pela Analítica por um preço bem abaixo de mercado, aproveitando uma promoção da empresa. A máquina custou R$ 125 mil, um investimento que torna a produção da Abrace completamente profissional.

“Esse equipamento é importante porque vamos poder constatar de forma precisa a quantidade de canabinoides existentes na planta. Os pacientes poderão ter mais segurança na hora de fazer o pedido de seu medicamento, pois saberá com certeza a concentração dos canabinoides presentes nos produtos”, explicou a integradora científica do departamento de convênios e pesquisas da Associação, Endy Lacet.

Além de funcionar na produção, o HPLC vai ajudar de forma direta nas pesquisas realizadas pela Abrace em busca de novas funções da cannabis em outras patologias ainda não atendidas.

“Como podemos fazer uma pesquisa sobre a eficácia de determinada dosagem sobre uma patologia se não sabemos exatamente a concentração de canabinoide que existe nela? agora não teremos mais esse problema, com esse equipamento poderemos melhorar a produção, a orientação aos pacientes e até mesmo, outras associações”, falou Endy Lacet.

A máquina já foi entregue à sede da Abrace, em João Pessoa, e deverá ser instalada no início do mês de julho pela equipe técnica da empresa. Logo em seguida, já poderá começar a ser usada.

O pagamento será feito em dez parcelas de R$ 8.750, mais uma entrada no valor de R$ 37.500. A empresa que comercializa a máquina entregou o HPLC por um valor muito abaixo do mercado, com cerca de 50% de desconto.

A aquisição aconteceu graças também a doações realizadas através do site oficial da Associação e com depósitos diretos na conta bancária. Contudo, a Abrace continua precisando de ajuda para quitar todo o pagamento.

“Vamos conseguir cumprir com o pagamento que é a parte mais critica, temos 90 dias para da a entrada, mas o que esta entrando é muito pouco, temos que focar para poder arrecadar ao menos para ajudar na entrada”, afirmou a assistente financeira da Abrace, Heidi Martins.

A Associação vem convivendo com problemas exteriores que estão influenciando no giro monetário, por isso a necessidade de mais apoio à causa. “A questão da apreensão das sementes, que atrapalhou na plantação, fez com que parássemos os novos cadastros, com isso, a arrecadação caiu, estamos respirando no limite”, detalhou Heidi Martins.

As doações podem ser feitas através do link https://risu.com.br/ongs/abrace-esperanca ou diretamente na conta corrente 33630-0, agência 3204-2, no Banco do Brasil. É possível doar qualquer valor.

Ter o HPLC é um sonho da Abrace que está sendo realizado. Os últimos três anos em que a Associação trabalhando produzindo o óleo e a pomada de cannabis foram marcados por críticas, segundo contou o diretor executivo, Cassiano Teixeira, e que chegou ao fim esta semana.

“A alegria é de realizar um sonho. A gente vem sendo cobrado desde 2016, que o óleo da gente não tem o que a gente diz que tem, que está no rótulo e isso vem sendo motivo de difamações. Foi uma luta para conseguir, ninguém vai poder falar mal, a gente tem agora como provar o que tem dentro do óleo. É o tipo de alegria que traz uma calma”, declarou Cassiano Teixeira.

A Abrace Esperança é autorizada pela Justiça, através de uma liminar, a cultivar, colher, produzir e entregar a maconha para fins medicinais desde 2015. Com isso, é possível auxiliar o tratamento em diversas condições, como autistas por exemplo, com resultados comprovados clinicamente e através de exames laboratoriais.

Deixe seu comentário