Whatsapp: (83) 3033-8260 Tel: 0800 042 0525 contato@abraceesperanca.org.br

Notícias da Abrace

Fique por dentro de nossas novidades!

A ação da cannabis no controle da dor

Por The GrowthOp / Sechat 

A medicina alternativa de plantas está se tornando uma nova opção: OMS relatou que o CBD não é psicoativo, não é tóxico e não vicia, além de ter um bom perfil de segurança

Em 2019, a dor crônica teve um impacto em um terço da população dos EUA. Este número continua a aumentar, assim como, segundo consta, aumenta o consumo de várias substâncias para ajudar a controlar ou combatê-la.

Atualmente, diferentes medicamentos anti-inflamatórios não esteroidais (AINEs), paracetamol e opioides são considerados usados ​​com mais frequência para tratar a dor. No entanto, não há garantia de que esses medicamentos serão totalmente eficazes na eliminação da dor ou que não causarão quaisquer efeitos colaterais adversos.

Hoje em dia, a cannabis e seus muitos canabinoides estão sendo mais procurados por causa de suas propriedades medicinais e terapêuticas. No geral, porém, a medicina alternativa de plantas está se tornando cada vez mais parte da rotina e do estilo de vida de algumas pessoas por várias razões. Aqui estão algumas das razões possíveis.

Compreender os tipos de dor para saber se a cannabis pode ajudar

Muitas vezes, quando alguém sente dor, sua principal missão é eliminar o desconforto usando ou consumindo imediatamente um produto que promete oferecer alívio. Antes de tratar a dor, no entanto, é importante compreender as características da própria dor, incluindo sua gravidade e natureza.

Por exemplo, a dor é aguda ou crônica? É uma dor neuropática ou inflamatória? A dor é causada por uma lesão, doença, enfermidade ou novo medicamento? Depois de compreender o tipo de dor, encontrar um método de tratamento adequado é o próximo passo.

Ao avaliar vários métodos de tratamento, é essencial compreender a eficácia das diferentes opções de tratamento e potenciais efeitos e reações adversas. A partir daqui, o indivíduo deve ser capaz de encontrar um método de tratamento adequado que se alinhe com o tipo de dor que está sentindo.

Maconha medicinal, um medicamento vegetal alternativo versus medicamentos tradicionais

Embora os opioides, AINEs, paracetamol e vários medicamentos sem receita tendam a ser a norma para o tratamento ou alívio da dor, a cannabis e sua gama de canabinoides benéficos parecem estar crescendo em demanda e uso.

Especificamente, para evitar potenciais efeitos colaterais adversos e / ou o risco de dependência de drogas, para muitos, os opioides estão ficando para trás e os canabinoides estão sendo considerados. Apesar dos medicamentos tradicionais demonstrarem sua eficácia em muitas situações diferentes e entre pessoas diferentes, ainda podem surgir problemas pós-consumo.

Por exemplo, os AINEs podem ser benéficos, mas também foram associados a complicações envolvendo os sistemas gastrointestinal, cardiovascular e renal. Por sua vez, os opioides têm demonstrado eficácia em diversas situações, mas também têm demonstrado potencial para causar deficiências cognitivas, deficiência motora e depressão respiratória. Os opioides também, infelizmente, representam um risco substancial de vício e dependência entre grupos específicos de indivíduos.

Com o passar do tempo, a medicina alternativa de plantas, como a cannabis, vários canabinoides e terpenos, está contribuindo lentamente para uma mudança na forma como o controle da dor é visto e / ou executado.

Cannabis para controle e tratamento da dor

A planta da cannabis contém mais de 100 canabinoides, mas alguns deles são mais conhecidos do que outros, incluindo CBD e THC. Numerosos canabinoides são medicamente e terapeuticamente benéficos de várias maneiras, mas as propriedades analgésicas de CBD, THC, canabicromeno (CBC) e cannabigerol (CBG) se destacam. Até agora, foi descoberto que o CBC contém propriedades anti-inflamatórias e analgésicas, enquanto o CBG mostrou ter uma atividade analgésica mais forte do que o THC.

Além das propriedades analgésicas de diferentes canabinoides, vários terpenos encontrados na planta da cannabis também são analgésicos, especialmente mirceno. Um estudo de 2008 expandiu isso, afirmando que: “O mirceno é analgésico e tal atividade, em contraste com os canabinóides, é bloqueada pela naloxona, sugerindo um mecanismo semelhante ao dos opioides”. Outro terpeno que contém atributos analgésicos e anti-inflamatórios é o β-cariofileno.

Além disso, os analgésicos canabinoides geralmente foram bem tolerados em ensaios clínicos. A Organização Mundial da Saúde (OMS) também relatou que o CBD não é psicoativo, não é tóxico e não vicia, além de ter um bom perfil de segurança.

Deixe seu comentário