Whatsapp: (83) 3033-8260 Tel: 0800 042 0525 contato@abraceesperanca.org.br

Notícias da Abrace

Fique por dentro de nossas novidades!

Cannabis e transtorno bipolar: jovem relata melhora nos sintomas

Por Rede Abracom

“compreendi que nosso sistema endocanabinoide é responsável por trazer a homeostase, a estabilidade da qual o organismo necessita para realizar suas funções adequadamente para o equilíbrio do corpo, conta associada”

O dia 30 de março foi escolhido para celebrar o Dia Mundial do Transtorno Bipolar devido ao aniversário de Vicent Van Gogh, um dos principais expoentes da pintura pós-impressionista, que foi diagnosticado, postumamente, como provável portador do transtorno.

O Transtorno Bipolar é uma doença mental que afeta cerca de 140 milhões de pessoas no mundo, e no Brasil somos em 15 milhões de bipolares, segundo estimativa da Organização Mundial de Saúde (OMS). Com o advento da pandemia a expectativa da Organização Mundial da Saúde (OMS) é que, entre um terço e metade de toda população que vivencia uma pandemia, como a Covid-19, possa vir desencadear sofrimento psíquico agudo e possíveis transtornos psicopatológicos.

Atualmente a Abrace acolhe mais de 30% de seus associados que apresentam algum tipo de transtorno mental como ansiedade e bipolaridade. O relato é de melhora significativa na qualidade e de vida e diminuição nos sintomas. A associada L.N.A, de 27 anos, que prefere não ser identificada, escreveu um relato emocionante sobre seu tratamento. Acompanhe!

Com aproximadamente 21 anos de idade fui diagnosticada com transtorno bipolar após alguns episódios de ansiedade e agitação seguido de depressão em períodos muito curtos, combinados a pensamentos suicidas e uma tentativa não executada. Em seguida a esse diagnóstico comecei uma tentativa com variados estabilizadores de humor, antidepressivos e antipsicóticos que na maioria das vezes tinham um efeito sedativo e ao invés de proporcionar melhora, acabavam me fomentando apatia e indiferença a sentimentos comuns. Já cansada dos efeitos colaterais e ajustes dos medicamentos convencionais, comecei a apreciar e assim considerar a tentativa de me tratar com a Cannabis Esperança, levando em consideração os casos de sucessos apresentados.

No início do tratamento com a cannabis eu não percebi de imediato os benefícios, pois os efeitos dos alopáticos que eu estava tomando já me deixavam exausta demais, eram muitas substâncias ao mesmo tempo e isso me confundiu e por muito tempo me impediu de acompanhar os benefícios da cannabis agindo no meu organismo.

Os medicamentos que eu fazia uso eram Carbolitium, Quetiapina e Lexapro. Até então eu compreendi a demora em fazer efeito pois havia substâncias no meu organismo “brigando” por espaço. Também levei em consideração que o sistema endocanabinoide de cada pessoa é extremamente individual, então eu respeitei meu processo, conversei com minha médica sobre os efeitos colaterais dos medicamentos alopáticos no meu organismo, como o aumento excessivo de peso. Foram aproximadamente 10kg e eu não comia o suficiente para esse ganho de peso todo, fora a perca de ânimo, cansaço, lentidão e falta de emoção. Eu já não chorava, não sorria, não me emocionava, não tinha disposição para me movimentar.

Não era estabilidade, era inércia total, fiquei indiferente a tudo ao meu redor. A sensação não era de equilíbrio, a sensação era de apatia. Assim começamos a desmamar rapidamente a Quetiapina e os outros medicamentos para que eu pudesse de forma gradativa também aumentar a quantidade de extrato da Cannabis e assim observar ou não as melhoras em mim. Ainda não desmamei 100% o Carbolitium e o Lexapro, mas foi retirada totalmente a Quetiapina e houve uma diminuição significativa dos outros dois que ainda faço uso.

O transtorno de personalidade bipolar é uma patologia crônica e o tratamento costuma ser necessário por toda a vida e geralmente envolve uma combinação de qualidade de vida, rotina, boa alimentação, atividade física (caso possível) e psicoterapia. É uma patologia que irá acompanhar a vida de quem possui por um prazo longo, e isso envolve algumas adaptações. Foi o que eu fiz. Entendi que a bipolaridade infelizmente seria companheira de vida e eu não estava disposta a me expor aos medicamentos químicos que ela me sugeria, então fui em busca da alternativa natural, sem químicas, a planta Cannabis. Estava tentando ao máximo conseguir levar minha vida de forma estável para que então meu tratamento natural com a Cannabis fosse bem-sucedido, mas de fato isso só foi possível quando fiz desmames e encontrei minha dosagem ideal no extrato da Cannabis Abrace Esperança.

Encontrada minha dosagem e adaptada ao óleo, após mais de 1 ano voltei sozinha a me exercitar quase que diariamente, tenho uma alimentação menos inflamatória e mais saudável com o acompanhamento de uma nutricionista, além de ser acompanhada por uma terapeuta.

Constatei que sozinha a cannabis não poderia fazer tudo o que minhas expectativas tinham sobre essa planta e com o suporte da Cannabis consegui desenvolver novamente minhas qualidades sem interferência de químicos e mais equilibrada, sendo mais eu mesma do que a patologia e os químicos me taxavam pois explorei os benefícios e compreendi que nosso sistema endocanabinoide é responsável por trazer a homeostase, a estabilidade da qual o organismo necessita para realizar suas funções adequadamente para o equilíbrio do corpo, equilíbrio esse sendo o que o portador de bipolaridade necessita, sigo muito satisfeita e confiante em obter ainda mais conquistas decorrente do meu tratamento natural com a Cannabis Abrace Esperança. Hoje muita gratidão!

As doações podem ser feitas pelo link http://www.benfeitoria.com/abracenaopodeparar

Deixe seu comentário