Whatsapp: (83) 3033-8260 Tel: 0800 042 0525 contato@abraceesperanca.org.br

Notícias da Abrace

Fique por dentro de nossas novidades!

Cannabis medicinal ajuda a tratar esclerose múltipla

Nos últimos anos, vários medicamentos derivados da cannabis, incluindo os sintéticos e os fitocanabinoides, foram investigados em relação ao seu potencial no tratamento de sintomas associados à Esclerose Múltipla (EM).

No Reino Unido, em 2019, o Instituto Nacional de Excelência em Saúde e Cuidados (NICE) recomendou o uso de um spray de THC e CBD no tratamento da espasticidade, o qual o paciente pode sentir uma redução de pelo menos 20% nos sintomas relacionados à espasticidade após um período de 4 semanas de uso. No entanto, o acesso ao medicamento deve ser aprovado e supervisionado por um clínico especialista e o índice de prescrições permanecem baixas.

Deste modo, pode ser difícil reunir evidências de alta qualidade para o uso de canabinoides no tratamento dos sintomas da EM. No entanto, em uma revisão publicada no Current Neurology and Neuroscience Reports Journal, os pesquisadores avaliaram as evidências atuais do uso de Cannabis medicinal e canabinoides no tratamento da esclerose múltipla.

O que é esclerose múltipla?

A esclerose múltipla é uma doença neuroinflamatória que afeta o cérebro e a medula espinhal. É uma condição que dura a vida toda e geralmente leva a uma deficiência grave. Caracteriza-se por sintomas incluindo espasticidade, fraqueza, distúrbios sensoriais, espasmos dolorosos, ataxia, tremor, neurite óptica e oftalmoplegia complexa, fadiga e disfagia.

A doença é mais frequentemente diagnosticada em pessoas entre 20 e 30 anos e geralmente começa de duas maneiras: com recaídas individuais (ataques ou exacerbações) ou com progressão gradual. Ainda não está completamente esclarecido o que causa a esclerose múltipla, mas os médicos acreditam que fatores genéticos e ambientais estão envolvidos.

Cannabis medicinal e esclerose múltipla

Nos últimos anos, a cannabis e seus derivados têm sido apontados como uma opção de tratamento potencial para alguns sintomas da doença. De acordo com a MS Society (UK), uma em cada cinco pessoas com EM que pesquisamos em 2014 nos disse que havia usado cannabis para ajudar a reduzir seus sintomas. Os entrevistados nesta pesquisa afirmaram que a Cannabis medicinal ajudou com espasmos, rigidez muscular (espasticidade) e dor.

Qual é a evidência?

Para avaliar a evidência atual da eficácia da Cannabis medicinal nesta área, os pesquisadores revisaram um total de 11 avaliações anteriores. Destas revisões, duas revisões Cochrane foram identificadas com foco em ataxia, tremor e espasticidade. As nove revisões sistemáticas restantes enfocaram a esclerose múltipla, os distúrbios do movimento de forma mais ampla ou incluíram estudos de esclerose múltipla como parte de revisões mais abrangentes dos usos terapêuticos dos canabinoides.

A revisão conclui que há evidências de que a Cannabis medicinal e os canabinoides podem ser benéficos no tratamento da espasticidade e da dor. No entanto, a evidência foi amplamente inconclusiva para os outros sintomas comuns de EM, como controle da bexiga, ataxia e tremor.

Embora as descobertas tenham sido bastante promissoras para o uso de canabinoides no tratamento dos sintomas da esclerose múltipla, os pesquisadores concluem que mais pesquisas devem ser realizadas, já que muitos estudos se concentraram apenas em resultados de curto prazo. Sugere-se, de acordo com as recomendações atuais do Reino Unido, que a Cannabis medicinal e os canabinoides oferecem potencial suficiente para serem considerados como um medicamento experimental no tratamento da esclerose múltipla, particularmente para espasticidade e sintomas de dor.

Fonte: Emily Ledger/Canex

Deixe seu comentário