83-3243-1951 contato@abraceesperanca.org.br

Notícias da Abrace

Fique por dentro de nossas novidades!

Estudo aponta que CBD funciona como tratamento de câncer no cérebro

  • A pesquisa foi realizada no Colorado State University, nos EUA

Os resultados de um novo estudo que examina células de câncer de cérebro humano e canino sugerem que o canabidiol (CBD) poderia ser uma terapia eficaz para o glioblastoma, tipo mais comum e agressivo de tumor maligno cerebral. A pesquisa foi realizada no Colorado State University, nos EUA.

“Mais pesquisas e opções de tratamento são urgentemente necessárias para pacientes afetados por câncer no cérebro”, afirma Chase Gross, estudante do programa de doutorado em Medicina Veterinária na Master of Science da Universidade Estadual do Colorado.

“Nosso trabalho mostra que o CBD tem o potencial de fornecer uma opção eficaz e sinérgica da terapia de glioblastoma e que deve continuar a ser estudado vigorosamente.”

Gross e colegas examinaram células de glioblastoma humano e canino e testaram os efeitos do CBD isolado, que contém 100% de CBD e extrato de CBD, que inclui pequenas quantidades de outros compostos naturais como o canabigerol (CBG) e o tetra-hidrocanabinol (THC).

“Nossas experiências mostraram que o CBD retarda o crescimento de células cancerígenas e é tóxico para as linhas de células de glioblastoma canino e humano”, afirmou Gross.
“É importante ressaltar que as diferenças na atividade anticâncer entre o isolado e o extrato de CBD parecem desprezíveis.”

O novo trabalho revelou que os efeitos tóxicos do CBD são mediados pelo caminho natural da célula para apoptose, uma forma de morte celular programada. Os pesquisadores também observaram que a morte celular induzida por CBD era caracterizada por grandes vesículas intracelulares inchadas antes que a membrana começasse a inchar e se romper. Isto foi observado para todas as linhas celulares estudadas.

Os pesquisadores acreditam que as ações anticâncer do CBD têm como alvo as mitocôndrias, causando disfunção e liberando espécies reativas de oxigênio prejudiciais. Suas experiências mostraram que as células tratadas com CBD exibiram diminuições significativas na atividade mitocondrial.

“O CBD foi estudado zelosamente nas células por suas propriedades anticâncer na última década”, dize Gross. “Nosso estudo ajuda a completar o quebra-cabeça in vitro, permitindo avançar no estudo dos efeitos do CBD no glioblastoma em um ambiente clínico, usando modelos de animais vivos. Isso poderia levar a novos tratamentos que ajudariam pessoas e cães que têm esse câncer muito sério. ”

Em seguida, os pesquisadores planejam fazer a transição de culturas celulares para modelos animais para testar os efeitos do CBD no glioblastoma.

Deixe seu comentário