Whatsapp: (83) 3033-8260 Tel: 0800 042 0525 contato@abraceesperanca.org.br

Notícias da Abrace

Fique por dentro de nossas novidades!

Mortes por opioides diminuem em cidades com dispensários legais

Por ABRACOM

Estudo pulicado no British Medical Journal aponta para diminuição de mortes por opioides em cidades que contam com lojas medicinais e dispensários legais de Cannabis nos Estados Unidos

Nos Estados Unidos apenas 13 dos 50 Estados ainda não regulamentaram o uso da Cannabis para fins terapêuticos e ou adulto recreativo, o que pode ser apenas uma questão de tempo já que a planta tem se mostrado empírica e cientificamente uma excelente alternativa a tratamentos convencionais para diversas enfermidades e pelo fato de movimentar a economia local.

Para quem tem a sorte de não saber o que são opioides vai aqui uma definição geral: são considerados os remédios mais perigosos do mundo. São substâncias sintéticas que aliviam as dores, mas causam efeitos adversos severos como constipação, náusea, vômitos, depressão respiratória, sedação e em alguns casos óbito do paciente. Essas substâncias são altamente viciantes e nos Estados Unidos matam mais que armas de fogo, uma epidemia social que há anos atormenta autoridades de saúde. Leia mais em: https://super.abril.com.br/especiais/o-remedio-mais-perigoso-do-mundo/

Diferentemente do uso terapêutico com fito canabinoides que apresentam pouquíssima rejeição na remissão de sintomas, com raros ou nenhum efeito adverso para a maioria dos casos de dores crônicas.

Muitas cidades americanas contam com lojas especializadas, os chamados dispensários, que vendem flores, extratos, comestíveis, produtos de beleza, entre outros produtos derivados da planta. Essa possiblidade de acesso foi considerada como provável causa da diminuição de morte por opioides, de acordo com um novo estudo de pesquisadores da Universidade de Yale e da Universidade da Califórnia Davis.

O estudo foi publicado em janeiro de 2021 no British Medical Journal (https://www.bmj.com/content/372/bmj.m4957), e aponta ligação entre a presença de dispensários e uma redução nas mortes associadas a opioides sintéticos.

Segundo os pesquisadores as descobertas apontam para “uma associação potencial entre o aumento da prevalência de dispensários de cannabis medicinal e recreativa e a redução das taxas de mortalidade relacionadas com opioides”. De acordo com a pesquisa ainda faltam mais dados em nível individual para caracterizar adequadamente a relação entre o uso de cannabis e opioides.

Significado do estudo para médicos e formuladores de políticas

Segue um trecho traduzido do estudo: “A Cannabis é geralmente considerada uma substância menos viciante do que os opioides. A cannabis pode ser potencialmente usada na medicina para o controle da dor e tem um apoio público considerável. Nossos resultados sugerem que o aumento da disponibilidade de cannabis legal (modelado por meio da presença de operações médicas e recreativas em dispensários) está associado a uma diminuição nas mortes associadas à classe de opioides T40.4, que inclui o opioide sintético altamente potente fentanil. Esse achado é especialmente importante porque as mortes relacionadas ao fentanil se tornaram a causa mais comum de morte relacionada aos opioides, com 46.802 relatadas em 2018, representando 67% de todas as mortes relacionadas aos opioides em 2018. Se os consumidores usarem cannabis e opioides para o controle da dor, aumentar o fornecimento de cannabis legal pode ter implicações para a demanda de fentanil e as taxas de mortalidade relacionadas aos opioides em geral.”

No Brasil, uma pesquisa da Fiocruz indicou que que 4,4 milhões de brasileiros já fizeram uso ilegal, sem indicação médica de algum opiáceo e dados da Anvisa sugerem que 80 milhões de brasileiros sofrem com dores crônicas, ou seja, aquela que persiste por mais de 3 meses.

Deixe seu comentário