Whatsapp: (83) 3033-8260 Tel: 0800 042 0525 contato@abraceesperanca.org.br

Notícias da Abrace

Fique por dentro de nossas novidades!

Os efeitos da Cannabis na inflamação pulmonar causada pela Covid

Estudos mostram que o CBD pode auxiliar os pulmões na recuperação da tempestade inflamatória causada pelo coronavírus e melhorar os índices sanguíneos de oxigênio no corpo

por Sechat / Health Europa

Como já comprovado por uma série de estudos, o CBD tem a capacidade de melhorar os níveis de oxigênio e reduzir a inflamação e os danos físicos aos pulmões relacionados à síndrome do desconforto respiratório do adulto (SDRA).

Segundo um estudo realizado pela Medical College of Georgia, os mecanismos por trás desses resultados, evidenciam que o CBD normaliza os níveis de um peptídeo chamado apelina, que é conhecido por reduzir a inflamação. Os níveis deste peptídeo são baixos durante uma infecção por COVID-19. Porém, para entender melhor como a cannabis medicinal pode auxiliar na inflamação pulmonar causada pela infecção do coronavírus, é preciso entender como a chamada “tempestade inflamatória” ocorre.

Tempestade inflamatória é o nome dado para uma inflamação de grande magnitude causada pelas citocinas inflamatórias. Quando uma doença viral, como a Covid-19, é detectada no corpo humano, as células imunológicas alertam as outras células a partir das citocinas, porém, quando o alerta é feito a partir de outras moléculas, como as catecolaminas, mais citocinas que o necessário podem ser liberadas. Como consequência, elas podem vir a atacar o próprio corpo do indivíduo infectado, causando a tempestade inflamatória. No caso das infecções por coronavírus, as citocinas afetam, primeiramente, os pulmões. 

Para combater os efeitos do alto número de citocinas no corpo, e, assim, combater a tempestade inflamatória, a Cannabis medicinal pode ser eficiente. Segundo uma pesquisa feita em julho pela Universidade de Geórgia, em roedores, o CBD pode reduzir e até reverter os sintomas da tempestade, uma vez que possui potencial para controlar respostas exageradas do sistema imunológico, como a liberação exacerbada de citocinas.

O coautor do artigo e membro do Medical College of Georgia, Jack Yu,  afirmou, em comunicado, que o resultado das pesquisas mostram que o CBD pode auxiliar os pulmões na recuperação da tempestade inflamatória causada pelo coronavírus e melhorar os índices sanguíneos de oxigênio no corpo.

Reduzindo a inflamação com CBD

Segundo estudos realizados pela Medical College of Georgia, o CBD é capaz de normalizar os níveis de um peptídeo chamado apelina, que é conhecido por reduzir a inflamação. Os níveis deste peptídeo são baixos durante uma infecção por COVID-19.

Os níveis sanguíneos de apelina, que é um regulador importante na redução da pressão arterial e da inflamação, caíram para quase zero no modelo ARDS dos autores e aumentaram 20 vezes com o CBD. Quando a pressão arterial fica alta, por exemplo, os níveis de apelina devem aumentar para ajudar a reduzir a pressão. A apelina deve fazer o mesmo para ajudar a normalizar a inflamação nos pulmões e as dificuldades respiratórias associadas à SDRA.

“Idealmente, com ARDS, aumentaria em áreas dos pulmões onde é necessário melhorar o fluxo de sangue e oxigênio para compensar e proteger”, disse Babak Baban, imunologista do DCG. Mas quando os autores analisaram seu modelo de SDRA, a apelina também não fez isso e, em vez disso, diminuiu tanto no próprio tecido pulmonar quanto na circulação geral. No entanto, isso mudou quando eles administraram o CBD.

Os autores enfatizam que ainda não sabem se o novo coronavírus ou o CBD têm um efeito direto sobre a apelina, ou se essas são consequências posteriores, no entanto, eles já estão trabalhando para descobrir.

A Cannabis medicinal pode ajudar a prevenir a COVID-19?

Prevenção

O vírus da COVID-19 entra nas células humanas através da enzima conversora de angiotensina 2, também conhecida como o receptor ACE2, com muitos pontos em comum entre ACE2 e apelina, incluindo o fato de que muitos tipos de células e tecidos têm ambos, incluindo os pulmões .

Novas abordagens para a prevenção de COVID-19 incluem um estudo examinando a possibilidade de incorporação de CBD em soluções orais, como enxaguatórios bucais e líquidos para gargarejo, com o objetivo de ‘diminuir ou modular os níveis de ACE2 em tecidos de alto risco’. Estudos descobriram que os níveis de ACE2 mudam durante a progressão de COVID-19 e, portanto, a capacidade de modular esses níveis torna-se particularmente importante, uma vez que ACE2 se mostrou essencial para a função pulmonar em modelos animais de vírus SARS.

Reduzindo a gravidade e o impacto

Evidências iniciais indicaram provisoriamente que o CBD e o THC podem ser benéficos no tratamento de pacientes cuja resposta inflamatória do corpo se tornou patogênica. Muitas pesquisas nesse campo se concentraram na capacidade dos canabinoides e terpenos de reduzir a resposta do sistema imunológico sem suprimi-la. 

As primeiras descobertas de um estudo conduzido atualmente pelo fabricante de terpeno Eybna e a empresa de pesquisa e desenvolvimento de cannabis CannaSoul Analytics, ambas de Israel, parecem indicar que a combinação de terpenos e canabinoides usada é até duas vezes mais eficaz do que o corticosteroide dexametasona, quando usado para reduzir a inflamação de COVID-19. O estudo ainda não foi revisado por pares.

Outra nova abordagem investigada em Israel é o desenvolvimento de um potencial tratamento de terapia celular que usa exossomos carregados com CBD para tratar pacientes com COVID-19. A intenção desta tecnologia é ‘direcionar tanto as indicações do sistema nervoso central quanto o coronavírus COVID-19’. Os exossomos carregados com CBD possuem o potencial de fornecer um efeito altamente sinérgico de propriedades anti-inflamatórias, visando órgãos específicos danificados, como células pulmonares infectadas.

Deixe seu comentário