Whatsapp: (83) 3033-8260 Tel: 0800 042 0525 contato@abraceesperanca.org.br

Notícias da Abrace

Fique por dentro de nossas novidades!

Uso de Cannabis reduz afastamento trabalhista, aponta estudo

Por Rede Abracom

estudo de pesquisadores americanos mostram uma redução nos afastamentos e indenizações trabalhistas em locais onde a Cannabis está legalizada

Um novo trabalho de pesquisa distribuída pelo National Bureau of Economic Research (centro de pesquisa ligado ao Governo dos EUA) sugere uma conexão entre a legalização da Cannabis e uma redução nos afastamentos e pedidos de indenizações trabalhistas. O estudo foi conduzido por uma equipe de pesquisadores da William Paterson University, em Nova Jersey, Temple University, da University of Cincinnati-Blue Ash, em Ohio e da RAND Corporation, que examinou o efeito das leis estaduais da Cannabis recreativa (RMLs) sobre o recebimento de benefícios de compensação dos trabalhadores (WC) entre adultos 40-62 anos.

De maneira geral, mostrou-se melhorias não triviais na capacidade de trabalho, representada com o recebimento de benefícios e várias outras métricas na análise de mecanismo, entre adultos mais velhos. “A capacidade de trabalhar provavelmente traz benefícios positivos para os próprios trabalhadores, devido à melhora na capacidade de ganho, saúde geral e satisfação com a vida. Os trabalhadores mais velhos correm um risco elevado de deixar o mercado de trabalho devido a problemas de saúde. Manter os trabalhadores ativamente engajados em empregos remunerados pode ter repercussões positivas para a Previdência Social e pode reduzir os custos para os empregadores que terão custos reduzidos com afastamentos e indenizações.

“A maconha está cada vez mais legalizada nos Estados Unidos. Nós estudamos os efeitos das recentes leis estaduais que legalizam o uso recreativo da maconha na capacidade de trabalho – a capacidade de se envolver produtivamente em empregos remunerados, entre os adultos mais velhos em idade produtiva”, escreveram os pesquisadores na introdução do estudo.

“Calculamos principalmente o recebimento de benefícios do Workers ‘Compensation (WC) como um sinal de capacidade de trabalho diminuída. Os benefícios do WC são recebidos quando os indivíduos ficam feridos ou doentes durante o trabalho e precisam de um tempo longe do trabalho para se recuperar. Além de fornecer uma medida útil da produtividade do trabalho e da capacidade de trabalho, os ferimentos ocorridos durante o trabalho representam custos substanciais para a economia nacional”, informa a pesquisa.

Eles descobriram que o recebimento da indenização dos trabalhadores “diminuiu em resposta à adoção das leis de maconha recreativa tanto em termos de propensão a receber benefícios quanto no valor do benefício. A grande sacada da pesquisa foi a constatação de que depois que a Cannabis se torna legal para uso recreativo entre adultos, muitas pessoas a usam para fins medicinais, descobriram os pesquisadores.

“Estimamos reduções complementares nas taxas de acidentes de trabalho não traumáticos e na incidência de deficiências que limitam o trabalho. Oferecemos evidências de que o principal motivador dessas reduções é uma melhoria na capacidade de trabalho, provavelmente devido ao acesso a uma forma adicional de terapia de controle da dor”, escreveram os pesquisadores.

Os resultados do estudo encontraram um declínio percentual de 0,18 na propensão ao benefício da compensação dos trabalhadores, que disseram “corresponde a uma redução de 20,0% em qualquer renda”, depois que os estados legalizaram a maconha recreativa para adultos.

“Esses resultados não são impulsionados por tendências pré-existentes, e os exercícios de falsificação sugerem que a observação de estimativas dessa magnitude é estatisticamente rara”, escreveram eles.

Em conclusão, os autores disseram que os resultados “sugerem benefícios potencialmente importantes para os trabalhadores mais velhos e para a sociedade em geral”.

Acessibilidade e legalidade da cannabis e da força de trabalho

À medida que mais e mais estados adotam a legalização, há um crescente corpo de pesquisas examinando seus efeitos sobre as questões trabalhistas. No outono passado, um estudo descobriu que os trabalhadores canadenses que usavam cannabis não tinham maior probabilidade de sofrer acidentes de trabalho.

O estudo, que veio de pesquisadores da Universidade de Toronto, revelou “nenhuma evidência de que os usuários de cannabis experimentaram taxas mais altas de acidentes de trabalho”.

O estudo foi, de acordo com os autores, “o maior estudo transversal de base populacional que examinou a associação entre o uso de cannabis no ano passado e lesões relacionadas ao trabalho”.

“Descobrimos que os trabalhadores que relataram o uso de cannabis mais de uma vez no ano passado não estavam mais propensos a relatar ter sofrido uma lesão relacionada ao trabalho no mesmo período de tempo em uma grande coorte da população trabalhadora canadense”, escreveram eles.

Traduzido por equipe Abracom

Fonte: http://Fonte https://hightimes.com/news/new-study-suggests-link-between-cannabis-legalization-decline-workers-comp-claims/

Deixe seu comentário