Uso medicinal da Cannabis ainda está em análise no Congresso Nacional

Proposta apresentada pela senadora Mara Gabrilli (PSD-SP) ao Congresso ainda não tem data para continuar avançando

Por: RedeAbracom, com informações da Tv Senado

O uso medicinal da C4nn4bis segue em análise no Congresso Nacional, sem prazo para avançar novas etapas. Em entrevista à TV Senado, publicada no dia 22 de janeiro deste ano, a senadora Mara Gabrilli (PSD-SP) defendeu a urgência do projeto para aprovação. “Eu vejo como extrema urgência, a gente conseguiu avançar na C4nn4bis medicinal apenas na questão da importação e isso não contempla o que a população precisa”, avaliou a Senadora.

A Senadora acrescentou ainda a importância do acesso universal ao tratamento com a C4nn4bis medicinal e detalhou o seu projeto apresentado que promete ser mais completo na regulamentação. “Só quem tem dinheiro tem acesso. Estou protocolando um projeto mais completo que abrange o cultivo, controle, importação, exportação, prescrição, manipulação e fiscalização. Além desses pontos, o projeto ainda trata do uso medicinal por pessoas, uso veterinário e incentivo ao cânhamo industrial que é uma abertura econômica importantíssima para o Brasil”, concluiu..

Ainda na reportagem da TV Senado, quem também falou sobre a C4nn4bis medicinal foi o Senador Paulo Paim (PT-RS). Ele destacou o acesso ao tratamento com C4nn4bis para os mais pobres e cobrou aprovação. “As pessoas pagam hoje uma fortuna para ter acesso a C4nn4bis medicinal, uma vez aprovado aqui, o SUS (Sistema único de Saúde) vai poder fornecer, os pobres vão ter direito a sentir menos dores. É fundamental que a casa aprove com rapidez”, afirmou Paim.

A regulamentação é algo que todos querem, as associações estão lutando para que isso seja uma realidade, garantindo um terreno sólido juridicamente para que o acesso seja universal seja realidade. Apesar dos projetos de lei existirem e mesmo que alguns Estados brasileiros tenham suas próprias legislações, o acesso ainda é difícil por conta do valor. É importante reconhecer o trabalho já realizado pelas associações de todo Brasil, que faz o papel do Estado dando acesso ao tratamento..

Veja aqui a reportagem completaSenado Notícias

SAC